quinta-feira, abril 15, 2010

De tudo que sonhei

Poucas vezes pude ver ou sentir, talvez nem tenha visto com tanta certeza, mas com certeza eu deveria ter olhado com clareza.
Às vezes era difícil entender, ou simplesmente depois que passasse explicar o que houve, nunca haja talvez uma explicação. Pode ser sonhos, desejos, felicidades, medo, não sei, inexplicáveis sentimentos passam por nós em uma noite, explicáveis lugares conhecemos e nós encantamos tudo que vimos muitas vezes em questão de segundo depois que acordamos é apagado e é como se nunca tivesse passado por ali. De tudo que sonhei muitas coisas lembrei, muitas alegrias passei.
De tudo que sonhei, poucas pessoas pude reconhecer e conhecer. Em muitos momentos fui triste e chorei, fui intensa e sorri, senti, gritei, amei, desejei e talvez REALIZEI. De tudo que sonhei e acreditei que poderia ser real que poderia está ali. E quando acordei talvez chorasse por querer tanto não ter acordado e tive que acredita que não tinha sido real, de tudo que sonhei algumas vezes me encantei e me perdi para não ter que me achar de novo e voltar para onde estava na realidade. De tudo que sonhei poucas lembranças nunca serão apagadas, outras quem sabe se apagaram no exato momento que acorda e outros quem sabe um dia serão realizadas. De tudo que sonhei (:

Nenhum comentário: